/*SLIDES ----------------------------------------------- */

news

Compras no Paraguai

Tags: Ciudad Del Este - Paraguai

Marco Paraguaio
Reserve um dia (ou pelo menos uma tarde) para visitar Ciudad Del Este.  A região é conhecida como o maior centro de compras a céu aberto da América do Sul. É aqui que você vai encontrar de tudo com um preço bem mais em conta do que no Brasil e na Argentina.

Já vou adiantando, não tem nenhuma outra atração em Ciudad del Este a não ser fazer compras. A cidade é um tanto quanto suja (porque não é asfaltada), lotada, com um trânsito confuso e muitos pilantras. Talvez o máximo que você encontre lá é o mini cassino no Shopping Ciudad Del Este que fica na entrada do Paraguai, do lado esquerdo ou o Marco da fronteiras.

Fica a dica geral sobre a cidade. Do lado direito, estão os shoppings de turistas desavisados, normalmente é mais caro que as lojas do lado esquerdo, que é o lado mais em conta (nem me dei ao trabalho de confirmar isso, já fui direto para a esquerda).

Tradicionalmente, as lojas funcionam em sua maioria de segunda à sábado, das 6h às 16h. Porém, diversas lojas e shoppings já praticam horários diferenciados. Evite ir nos finais de semana porque tem muito sacoleiro. Da mesma forma, evite ficar até tarde (ou se afastar do centro), porque a cidade fica muito vazia e perigosa.

Os pagamentos nas lojas podem ser feitos em dólar, real, guarani ou peso argentino, dependendo do estabelecimento. O mais indicado é pagar em dólar (regra geral), portanto leve dinheiro, mas evite levar notas de US$ 100,00 porque alguns estabelecimentos não aceitam (ou devolvem troco com notas falsas). Se o câmbio não estiver muito desfavorável, você pode usar o real.  Cartões de crédito também são aceitos, mas essa é a pior opção, é aceito somente nas maiores lojas (somente o cartão internacional), mas cobram uma porcentagem em cima do valor.

#Dica: Faça o câmbio das moedas na sua cidade, em geral, é mais rentável. A cotação do dólar na fronteira é desfavorável ao turista, estando até 20% acima do preço oficial.

10 Mandamentos de uma boa compra no Paraguai


1 - Antes de passar a fronteira, é recomendado que você já tenha em mente tudo o que deseja comprar. Então faça uma lista. Isso evita que você faça compras desnecessárias por impulso (e quase que certo que a vontade de comprar tente te dominar).

2 - Faça uma pesquisa dos itens desejados no Brasil para comparar com os preços praticados o Paraguai. Nem sempre aqui será mais barato. Com o aumento do dólar, alguns produtos não apresentam tanta diferença comparados com os preços praticados no Brasil. Se já quiser ter uma previa, visite o site www.comprasparaguai.com.br e dê uma olhada nos preços dos produtos vendidos por lá. Considere que você não terá tempo para pesquisar os preços nas lojas do Paraguai, mas se você quiser pesquisar preços e conhecer todos os shoppings, é bem provável que apenas um dia não seja suficiente. Para pesquisas os preços dos produtos no Brasil, sugiro que pesquise nos sites do Buscapé; AliExpress; e Mercado Livre.

3 - Procure saber quais as melhores lojas para comprar o que você deseja. Evite fazer compras na rua porque é perigoso (em vários sentidos). As lojas grandes são mais confiáveis (Monalisa, Casa da China, Sax, Shopping del Este). Leve um mapa da cidade indicando onde fica as lojas que você quer ir, porque são muitos shoppings, lojas e galerias diferentes, evite ficar pedindo informação. Geralmente os produtos que são vendidos nas barracas que ficam nas ruas são os falsificados (só compre lá se você não se importar em ter um produto falso, mesmo que eles garantam que seja original).

4 - Não confie nos vendedores, eles não são de boa índole.
Eles costumam indicar produtos de qualidade aparentemente superior, por um preço menor, mais geralmente isso é um golpe. Leve o produto que você já tinha a intenção de comprar. Esse golpe é velho, mas ainda usado pois muitos caem nele.

5 - SEMPRE teste o produto antes de sair da loja, pois elas não aceitam reclamações posteriores. Se o produto não puder ser testado antes da compra, pague e teste na frente do vendedor (inclusive perfumes). JAMAIS saia da loja sem testar.

6 - Não saia da loja sem abrir a embalagem e conferir o que está dentro. Abra a caixa e verifique se está tudo lá, sem pressa, inclusive o certificado de garantia, lista de endereços de assistências técnicas autorizadas e manual (em regra, a falta do manual indica que este é um produto falsificado), verifique o conteúdo e compare o número de série do produto com o do termo de garantia. Fique atento para que eles não tenham trocado sua caixa enquanto você estava distraído (já aconteceu com uma amiga de trocarem a caixa dela por uma outra caixa com um tijolo dentro). Confira ainda dentro da loja se o produto está na sua sacola na frente do vendedor. Exija produtos com embalagem.

7 - Exija sempre a nota fiscal para ter direito à garantia e para apresentar na aduana. Assim como no Brasil, as lojas paraguaias são obrigadas a emitir o comprovante legal, ao invés da “nota de controle” comumente oferecida. Caso o estabelecimento não forneça a nota fiscal ou queira cobrar um “extra” para emiti-la, denuncie!

8 – Mantenha o controle da situação.
Os vendedores que ficam na rua vão te oferecer inúmeras bugigangas e vão diminuir o preço até que você não consiga mais ouvi-los. Faça-se de difícil e não aceite a primeira oferta, pois se demonstrar interesse logo na primeira, não vai economizar. Nos shoppings os funcionários não são tão generosos quanto aos descontos, mas se pechinchar, você consegue um bom desconto comprando mais de um produto; Jamais compre em lojas que não tenham os preços marcados nas mercadorias, eles podem falar um preço no início da negociação e quando você decidir levar, te dirão outro preço; Lembre-se que esses vendedores sabem que dificilmente você vai voltar lá para comprar novamente, então eles não precisam te cativar, portanto não espere ser bem tratado. Muito pelo contrário, desconfie de certas facilidades que eles podem te oferecer, como por exemplo, o serviço de entrega gratuita (ou mesmo paga) do produto no hotel que você está hospedado, independendo de ser loja ou camelo. Não aceite. O produto pode não ser o que você escolheu ou aparecer com defeito ou mesmo não chegar;

9 - Preste atenção aos assaltantes. Tome muito cuidado ao caminhar pelas ruas de Ciudad Del Este. Nunca aceite ajuda de pessoas se oferecendo para carregar as bagagens ou indicando lojas (ou mesmo estacionamentos). Este pessoal costuma te seguir e pode ser perigoso. Não dê atenção às pessoas que lhe abordarem na rua. Além disso, sempre tome cuidado com seus pertences e não dê bobeira nas ruas, com um monte de sacolas nas mãos. Você não precisa ter medo de ir ao Paraguai, mas assim como em qualquer outro local onde há uma grande concentração de pessoas você precisa ficar ligado nas dicas de segurança. Evite usar joias, relógios e acessórios chamativos. Use bolsas e mochilas que tenham fechamento adequados e mantenham-nas sempre visíveis. Evite deixar a carteira no bolso de trás (de preferência, leve uma pochete para documentos e dinheiro). Cuidado com sua máquina fotográfica, celulares, etc. Se você der bobeira, pode nem notar que foi roubado. Os pilantras sabem que você está indo com dinheiro ou com mercadorias de considerável valor agregado, fique esperto.

10 – Não seja muambeiro. Tudo que você trouxer em grandes quantidades pode revelar uso comercial (contrabando) – portanto seja sensato em suas compras. Não tente burlar a alfandega, a sorte pode não estar do seu lado. Não compre lembrancinhas para toda a família, lembre-se que sua bagagem está limitada ao espaço sobrando na sua mala.

Como ir:


Para chegar até Ciudad Del Este para compras, você terá que passar pela Receita Federal Brasileira, atravessar a Ponte Internacional da Amizade, que liga os dois países e atravessar a aduana paraguaia. A travessia da ponte é uma zona, no fim de semana é um inferno.

Leve sempre RG ou passaporte ou CNH. Não aceitam cópias autenticadas e carteiras profissionais. Teoricamente você vai precisa apresenta-los para cruzar a fronteira, mas na prática a história é outra, o fluxo de pessoas é tão grande, principalmente nos feriados, que centenas de turistas cruzam a fronteira sem passar pela imigração. Mas não conte tanto com isso, melhor levar para não ter problemas.

DST: Quando for levar objetos ao entrar no Paraguai (que na volta possam dar a entender que foram recém-comprados lá, como câmeras fotográficas, por exemplo), preencha uma Declaração de Saída Temporária de Bens (DST) gratuita na Aduana antes de deixar o país ou você pode ter sérios problemas na volta.

Você pode atravessar a fronteira a pé, de táxi, de ônibus ou com alguma agência de turismo local.

Meu conselho: deixe seu carro no Brasil (mesmo se for alugado, nenhuma seguradora cobre sinistros lá, nem de carros alugados). Ir para o Paraguai com veículo próprio além de perigoso (roubos e arrombamentos de carros), não há estacionamento (adequado). Na travessia da Ponte da Amizade tem muita moto e eles batem umas 20x no seu carro.

Da mesma forma, evite as conduções alternativas e que geralmente são mais baratas. Um dos principais problemas no Paraguai são os assaltos. Então, todo cuidado é pouco!

Você pode atravessar a pé, o caminho não é longo, o único desafio é se desvencilhar dos sacoleiros que passam levando suas enormes mercadorias no ombro (nós fomos a pé).

#Dica: Calcule que você poderá ficar parado no engarrafamento que se forma ao longo da ponte e saia de seu hotel com antecedência.

Regras alfandegarias (2015)


Ao entrar de volta no Brasil, para que você não pague impostos sobre suas compras é preciso que estas sejam de uso pessoal e não ultrapassem o valor financeiro e nem o limite quantitativo. E essa regra é válida por 30 dias, só depois desse período para fazer novas compras sem pagar impostos.

Para quem atravessa a fronteira via terrestre, o valor financeiro é de 300 dólares (aproximadamente R$ 1.200,00) e as quantidades máximas totais permitidas são:
- 12 litros de bebida alcoólica;
- 20 unidades cuja o valor não exceda a US$ 5,00 (até 10 unidades idênticas);
- 10 unidades para itens cuja o valor seja maior que US$ 5,00 (até 3 unidades idênticas).

Se ultrapassar o limite, você pagará imposto sobre o excedente, ou seja, se comprar 500 dólares, pagará um imposto de 50% sobre os 200 dólares excedentes e no final a sua compra sairá por 600 dólares.

Atendendo aos limites especificados acima e sendo os bens de uso pessoal, você não pagará taxa nenhuma. Mas aí é que fica o perigo, o pessoal da aduana pode pensar que você está trazendo bens para comercializar, o que é proibido.

Os critérios para determinar se uma compra é ou não de uso pessoal é totalmente subjetiva, vai de profissional para profissional, então fica a dica para vocês serem bem simpáticos com o pessoal da aduana e do aeroporto, porque se não forem com sua cara, já era.

Presentes e itens novos (mesmo que destinados para seu uso próprio) podem ser tributados, então a dica é você descaracterizar ao máximo possível o produto como novo. Se você comprar uma câmera fotográfica ou celular e usá-lo durante o passeio (tirar várias fotos no Paraguai, por exemplo), já caracteriza o produto como algo que você precisou usar na viagem, o que é totalmente legal e você não pagará tributos sobre ele. Mas deve ser visível seu uso e deve ser algo razoável, pois não há um parâmetro para que o item seja considerado usado.

Importante: A cota é por pessoa e intransferível, ou seja, não é admitida a soma ou transferência de cotas entre os viajantes, ainda que membros da mesma família. E NÃO transporte objetos para outras pessoas sem saber muito bem do que se trata, se for algo ilegal, você será o responsável.

Ao retornar ao Brasil está a aduana Brasileira. Ali você deve fazer a declaração das suas compras. Toda e qualquer compra deveria ser declarada, porém por causa das imensas filas, geralmente essa declaração é feita se você for barrado.

Você pode conferir as regras atuais neste link.
Nós fomos parados
#Personal shoppers: Se ainda tiver mais dúvidas sobre como comprar no Paraguai, solicite a ajudas das meninas super-poderosas: Juliana, Fabiane e Karla. Elas têm um blog especifico sobre esse assunto.

#Desconto: Além de toda essa moral que as poderosas nos dão, elas também conseguiram desconto em duas lojas no Paraguai, a Tiffany’s, que é uma loja de cosméticos, oferece 3% de desconto em suas compras; e a Casa Nippon (unidade do Shopping Del Este) que oferece 5% de desconto para os clientes.
Para receber o seu desconto, basta informar na hora do pagamento que você lê o blog "Paraguai Pink" ou participa que participa do grupo delas no Facebook (e realmente compensa participar).
Os responsáveis por autorizar os descontos são os funcionários:
Tiffanys: Paulo ou Giovana;
Casa Nippon: Fernando, Jair, Mailon, Douglas, Nanci ou Mabel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário